Alfarrábios (VIII)

Se o leitor esperou pela reedição da última semana, peço desculpas, pois fiquei devendo. Então, sem mais delongas, aí vai.

=====

Inquietude IV (Vazio)

Belo Horizonte, 24 de fevereiro de 2005 – 01:36

É isso mesmo que sinto. Uma coisa estranha, inexplicável, que perturba o imo da alma. Mexe com todas as impressões, todos os campos da vida. Como se fosse impossível viver sem que isso existisse. Dilacera, espreme, sem exprimir. O que pode ser?

23/02/2005 – 01:45

(Publicado originalmente às 17h59 de 1º/03/2005, em http://marcosarthur.blogspot.com.)
Marcos Arthur Escrito por:

Inquieto. Curioso. Companheiro da Marina e pai do Otto. Ultramaratonista. Facilitador de aprendizagem. Sócio-fundador na 42formas. Escritor amador. Eterno aprendiz.

seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *