Um dia…

(Em homenagem a Millôr Fernandes. E para a minha irmã Bethania Duarte.)

Um dia
eu não voltarei a mim
Dormirei nos braços de Morfeu
e acordarei às portas do céu

Um dia
eu não voltarei a mim
Seguirei eterno
e baterei às portas do inferno

Um dia
eu não voltarei a mim
Deixarei as portas
e caminharei por linhas tortas

Um dia
eu não voltarei a mim
Colherei o seu chão
e me esquecerei de que houve refrão

Um dia
eu não voltarei a mim
Cerrarei o meu ato
E levantarei insensato

Um dia
eu não voltarei a mim
E neste dia
estarei no meu lugar

===

E deixo aqui uma pérola de Dudu Nicácio e Rosa Souki, nas vozes de Leopoldina e Dudu Nicácio. Nada mais a acrescentar.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=usXsmWw7IQY&w=420&h=315]

Marcos Arthur Escrito por:

Inquieto. Curioso. Companheiro da Marina e pai do Otto. Ultramaratonista. Facilitador de aprendizagem. Sócio-fundador na 42formas. Escritor amador. Eterno aprendiz.

8 Comentários

  1. Elaina
    29/03/2012
    Responder

    Lindinho.Te adoro

  2. Elaina
    29/03/2012
    Responder

    Lindo.Te adoro para sempre

    • 29/03/2012
      Responder

      Faço minhas as suas palavras, trocando o “lindo” por “linda”. 🙂

  3. Angelo Oliveira
    29/03/2012
    Responder

    Bonito poema, Marcos.

  4. Lendo isso lembrei disso:
    “Traduzir uma parte na outra parte – que é uma questão de vida ou morte – será arte?” Gullar

  5. Marculino, seu menino. A poesia tomou conta e vai levando. Obrigado por existir assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *