Marcos Arthur Publicações

15/12/2004 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 15 de dezembro de 2004 – 02:46 Freqüentemente, receio pelo dia de amanhã. Muitas vezes, quando isso acontece, já me esqueci de que amanhã é hoje. Voltar à mesma rotina de sempre, cumprir obrigações, caminhar conforme ditam as regras e os valores sociais.…

13/12/2004 / Escritos do passado

Hoje é mais uma segunda-feira. Daqui a pouco eu, como muitos, estarei trabalhando para dar vazão aos convencionalismos que a sociedade nos impõe com tanta acidez e iniqüidade. Sim, porque somos todos alguma espécie de vítima de nós mesmos. Do dito pensamento coletivo que impregna…

24/11/2004 / Escritos do passado

… Eu agradeceria a Deus por ter me permitido viver. Por ter me concedido cada instante que, inequivocamente, passei na Terra. Eu me ajoelharia a Seus pés e reconheceria quão valiosas haviam sido as lições que aprendi. Eu agradeceria por ter pisado na grama descalço…

17/11/2004 / Escritos do passado

Alguma vez em sua vida você já se sentiu verdadeiramente incomodado? Daquelas sensações que atormentam, atormentam, a ponto de você questionar a sua concepção do que é bom e o que é ruim? Daqueles existencialismos que não permitem que você distinga uma dor de dente…

16/11/2004 / Escritos do passado

Estávamos os dois sentados numa cama de solteiro, cercados de outras camas e sofás ocupados por amigos que, de fato, não conheço. No alto, num daqueles suportes metálicos pintados de preto, uma televisão passava um desenho animado, cujo enredo não me lembro direito. Mas era…

10/11/2004 / Escritos do passado

Não sei o que, de fato, mereço da vida. Sequer sei o que o futuro me reserva. Mas tenho a plena certeza de que algo de bom acerca-se de minha alma. Situações, circunstâncias, acontecimentos fizeram-me, por momentos, amargo e incompreensivo. E eu quase cedi ao…

09/11/2004 / Contos

– Queres tentar? – perguntou ela. Como ele baixasse a cabeça, retraído, ela tornou: – E então? Ele continuou calado. Então, ela franziu a testa, como quem demonstra um sinal de impaciência e, mais uma vez, tentou: – Por que não respondes? Ele, ainda cabisbaixo,…

09/11/2004 / Escritos do passado

De súbito, sinto-me tomado pela vida. Não guardo nenhuma vontade especial, tampouco me vejo inclinado a mudar o mundo. Ouço apenas o som das teclas sob os meus dedos enquanto escrevo alguns de meus pensamentos, supostamente, a esmo. Turbilhões de experiências minhas, de outros e…

09/11/2004 / Escritos do passado

Alguns de nós já se tornaram “papais”, outros, “titios”. Alguns de nós nem mesmo merecem mais a “simpática alcunha” que há dez anos nos autodenomina: GE, ou Galera Empolgada. “Mas, porque isso?”, você deve estar se perguntando. “É alguma espécie de ‘versão brasileira’ de Friends,…

20/04/2004 / Escritos do passado

Mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende. Guimarães Rosa