Marcos Arthur Publicações

06/04/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 6 de abril de 2005 (quarta-feira) – 00:07 Depois do fritacê trabalhístico usual, eu já acreditando que ia desfrutar de minha caminha que jazia solitária no meu quarto, recebo um convite do jonhado culete para a comemoração do aniversário da irmã dele. Confesso…

03/04/2005 / Contos

Belo Horizonte, 3 de abril de 2005 (domingo) – 14:46 Exausto, procurou a sarjeta que, ainda úmida, lhe pareceu o lugar mais aconchegante do mundo. Colocou o travesseiro no chão, junto com a esteira, enrolada. Sentou-se, cuspiu nas mãos e, com a própria saliva, lustrou…

03/04/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 3 de abril de 2005 (domingo) – 14:08 Processo ou estado? Prefiro encarar como a eterna busca pelo novo, mesmo que não necessariamente melhor. Sendo assim, mudar seria, ao mesmo tempo, processo e estado, já que acontece ao longo de algo que aprendemos…

03/04/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 29 de março de 2005 (terça-feira) – 16:17 Lá vai o trem com o menino Lá vai a vida a rodar Lá vai ciranda e destino Cidade e noite a girar Lá vai o trem sem destino Pro dia novo encontrar Correndo vai…

02/04/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 2 de abril de 2005 (sábado) – 01:59 Antes mesmo de saber o que eram íons, eu já ouvia aquela velha frase: os opostos se atraem. Mais tarde, aprendi outra teoria, que dizia: semelhante atrai semelhante. Estranho pensar que duas premissas tão aparentemente…

30/03/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 30 de março de 2005 (terça-feira) – 02:25 Esse é pra você mesmo, seu merda de ser humano que acredita saber algo da vida. Está no “topo da cadeia alimentar”. Porém, se um simples pensamento te incomoda, nada mais broxante. É como se…

27/03/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 26 de março de 2005 (domingo) – 15:38 Ao mesmo tempo em que um turbilhão de coisas assola a minha mente, incitando-me à escrita, por (muitas) vezes, tenho dificuldades em começar. Em desenvolver. Em concluir. Então, procuro simplesmente fazer e, no final, deixar…

01/03/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 24 de fevereiro de 2005 – 01:36 É isso mesmo que sinto. Uma coisa estranha, inexplicável, que perturba o imo da alma. Mexe com todas as impressões, todos os campos da vida. Como se fosse impossível viver sem que isso existisse. Dilacera, espreme,…

18/01/2005 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 18 de janeiro de 2005 – 02:35 Olhos marejados, fitou o horizonte como se buscasse alguma solução para sua angústia reprimida. Não encontrou. Lentamente, foi retomando o foco, observando, à sua frente, aquele mesmo Café. O mesmo em que, algumas vezes, estiveram juntos,…

15/12/2004 / Escritos do passado

Belo Horizonte, 15 de dezembro de 2004 – 02:46 Freqüentemente, receio pelo dia de amanhã. Muitas vezes, quando isso acontece, já me esqueci de que amanhã é hoje. Voltar à mesma rotina de sempre, cumprir obrigações, caminhar conforme ditam as regras e os valores sociais.…